HumanasBlog


PSICOTERAPIA: ORIGENS E SENTIDOS DE UM CONCEITO

Posted in Psicologia Clínica e Saúde Mental por Joaquim Cesário de Mello em agosto 5, 2009

 

 

 

Por muitos anos, anos atrás, construiu-se um estereótipo preconceituoso de que psicoterapia era ou coisa para gente “doida” ou apenas uma conversa a mais na vida com o agravante de que se “jogava dinheiro fora batendo papo”. Com o tempo a psicoterapia foi tomando forma e aceitação social mais popular, inclusive, talvez graças à mídia e à figura quase onipresente dos especialistas dos sentimentos e das emoções humanas, psicoterapia chegou até ser moda e status. Hoje é comum vermos pessoas dizendo: “segundo meu terapeuta…” ou “vou levar isso pra minha terapia”. Pois é, foi-se a época que fazer psicoterapia era uma coisa vergonhosa e que quem a fazia o fazia de maneira furtiva, às escondidas. Aliás, psicoterapia no jargão popular foi abreviada para a expressão terapia. Assim, quando se diz que está fazendo terapia, está dizendo que se está fazendo uma psicoterapia ou – utilizando-se de termos mais próximos do meio acadêmico – se submetendo a um processo psicoterápico. 

Mas, o que é mesmo uma psicoterapia, afinal?

A pergunta pode parecer fácil  em princípio, contudo sua resposta implica certa complexidade, afinal falar de psicoterapia é falar do ser humano e do seu sofrimento: o sofrimento humano. Assim, na busca de melhor compreender não somente o sentido conceitual, mas principalmente a funcionalidade da própria psicoterapia, dedicamos um espaço ao tema com um breve artigo incialmente publicado no site do CTCR (Centro de Terapia Clínica do Recife), ctcr-pe.com,  cujo link de acesso ao mesmo é o seguinte: http://www.ctcr-pe.com/artigos/artigo_04.html. Abre-se, pois, uma discussão…

Anúncios